sexta-feira, maio 20, 2005

Tudo e nada

No tempo em que eu sabia tudo,
os rios corriam sem esforço
e o mundo
cabia inteiro no meu bolso.
Mas isso era no tempo em que eu sabia tudo.

Depois, chegaram as dúvidas,
que me tomaram todo,
como naqueles dias em que a chuva
se insinua e nos encharca a roupa,
colada ao corpo.

Por fim, subitamente,
em certa curva da estrada,
tudo ficou diferente
e dei por mim sem saber nada.

(2005)

3 Comments:

Anonymous mariaazenha said...

belo!

bj.

mariah

(Amigo.

alterei o endereço "pátria d´'agua" para

http://patriadagua2.blogspot.com)

12:45 da manhã  
Blogger Pink said...

É terrível quando se dá uma alteração destas na nossa vida, em que as dúvidas nos dominam ... Belo poema. Um beijo

7:49 da tarde  
Blogger JG said...

Mais uma vez, a perfeição....

12:24 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home