terça-feira, dezembro 06, 2005

Enquanto

Enquanto ainda não é noite, enquanto
o sol resiste à sombra dos valados,
enquanto aguardo o teu regresso, enquanto
me desgasto entre a ânsia e o cansaço.

Enquanto o dia permanece, enquanto
tudo pode voltar ao que foi dantes:
aquele encanto que era nosso enquanto
não cedemos à fúria do instante.

Enquanto ainda há luz, enquanto
o crepúsculo ainda não é pranto.

(2005)

7 Comments:

Blogger maat said...

Gosto imenso .
Bom feriado,amigo.

beijinhos,

***

10:09 da manhã  
Blogger addiragram said...

Enquanto ...o Enquanto existe,o instante aguarda. Um bom feriado e 1 bj.

11:59 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Idem para vocês, maat e addiragram!

12:03 da tarde  
Blogger Pink said...

... enquanto isso aproveitemos o dia e a vida! Belo poema, como sempre.

Um beijo

10:06 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um bj também,Pink.

9:30 da manhã  
Blogger Laura Lara said...

Mais um bocadinho de boa leitura. Obrigada, Torquato e bom fim-de-semana.
Beijinhos

6:10 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijinho e mais uma vez obrigado, Laura.

6:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home