quarta-feira, abril 12, 2006

Tempo de olaias

Desço as Escadinhas da Arrochela
e aspiro o cheiro que anda no ar,
vindo do Jardim das Francesinhas.
São as olaias que, em Abril,
florescem um pouco por todo o lado,
festejando a Páscoa lisboeta.

Nestes luminosos dias,
a cidade veste o melhor traje
e perfuma-se, grácil rapariga,
convidando a amá-la.

(2006)

8 Comments:

Blogger António Baeta said...

Gosto deste teu olher singelo sobre Lisboa.

7:08 da tarde  
Blogger Pinho Cardão said...

Caro Torquato:
Ainda hoje tive sensação parecida noutro ponto da cidade...só que não sou capaz de a transformar em poesia!...

11:15 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Caro Toy:
Esta minha paixão por Lisboa vem da adolescência e persiste à beira da terceira idade :-)

9:23 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Caro Pinho Cardão:
A poesia está no que a gente sente, raro precisa de ser escrita.

9:26 da manhã  
Blogger Laura Lara said...

Torquato
No embalo das tuas lindas palavras, desejo-te uma óptima Páscoa.
Beijinhos

12:18 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Excelente Páscoa para ti também, Laura. Beijinhos.

3:01 da tarde  
Anonymous Mariana said...

Vim ter aqui por engano. Gostei muito do que li.
Feliz Páscoa

1:38 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Olá, Mariana. Feliz Páscoa também.

10:08 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home