segunda-feira, maio 22, 2006

Bastava









Acrílico sobre tela/Torquato da Luz, 2005

Bastava que dissesses a palavra exacta,
que tens aprisionada na garganta.
Bastava que pendurasses
na porta do teu quarto um lenço branco.

Bastava que enfeitasses o chapéu
com as flores que o fim da tarde
põe sedentas da luz dos teus cabelos.

Bastava que me olhasses uma vez ainda.

(2006)

11 Comments:

Blogger Scorpio said...

Por vezes, bastava tão-só...

Muito bonito.

Abraço,

5:09 da tarde  
Blogger Cãocompulgas said...

Gostei.

Vou roubá-lo para o meu blog.

:)

5:15 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço, caro Torrão.
Roube à vontade, amiga Cão (sem ofensa para as pulgas, é claro...).

9:28 da tarde  
Blogger Sofia Loureiro dos Santos said...

Lindo, lindíssimo, Torquato.

9:37 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também a tenho lido todos os dias com gosto, Sofia. Um beijo.

9:34 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Tudo, por tão pouco.

11:55 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

É isso mesmo, Toy.

2:02 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Torquato
Nem sempre deixo uma palavra, mas venho aqui quase todos os dias ler o belo que escreves.
Beijinhos

7:05 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Eu sei, Laura. Também visito a Senda quase todos os dias. Beijinhos.

8:24 da tarde  
Blogger Helder Ribau said...

vim visitar-te... gostei muito

12:39 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, Helder. Um abraço.

8:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home