segunda-feira, janeiro 07, 2008

A porta















Foto TL

Talvez eu volte um dia. Ninguém sabe
que mistério se esconde atrás da porta
que para mim já se entreabre.
De resto, pouco importa
se volto ou não. Interessa é que vivi
o mais intenso que consegui.
Amei e fui amado. E, se também
por vezes odiei ou houve alguém
que me tenha odiado, já esqueci.
Estou, assim, preparado para quando
a porta, enfim, se abrir e eu entrar
no mistério que, não voltando,
não terei de revelar.

22 Comments:

Blogger Fatyly said...

Vivendo um dia de cada vez, saboreando e valorizando os momentos bons, aprendendo com os maus e até com os erros...estamos mais que preparados para a abertura da porta misteriosa.



PS: sabes que adoro portas? é algo que observo por onde passo:)

Beijos poeta

7:02 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Parabéns pela foto, muito bem conseguida:)

7:03 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Sempre atenta, cara Fatyly.
Beijos.

8:09 da tarde  
Blogger Sophos said...

uma porta para a morte ou para uma vida mais completa?
Parabéns pelos poemas...acabei de os descobrir

9:41 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Quem sabe, Sophos?
Obrigado, volte sempre.

2:16 da tarde  
Blogger CMondim said...

A porta é sempre um ponto de entrada num mundo.

2:53 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Pois é, Carla.

5:27 da tarde  
Blogger av said...

Também gosto de portas, Torquato. São rituais de passagem, e é preciso estarmos atentos a elas. Mas gosto ainda mais destes poemas de pena solta, que atravessam as portas como brisas, em total liberdade.
Já tinha saudades de aqui passar.
Um beijo
Ana

6:48 da tarde  
Blogger inês miguéis said...

Olá Torquato,
Belo poema, mas tocou-me tristemente no coração, porque se o T.L. está preparado, há quem não esteja para o deixar ir. Muito bonito. Um beijinho.

10:00 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

As portas vão-se abrindo ou fechando,
consoante o próprio conceito de porta.
Um abraço

12:37 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Muito obrigado, Ana, Inês e Vieira Calado.
Beijinhos e abraços.

8:59 da manhã  
Blogger Laura Lara said...

A porta entreabre-se para todos, mas só poucos o sabem dizer de maneira tão bela.
Lindo, Torquato!
Beijnhos

12:08 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Continuam a ser os teus olhos, querida Laura...
Mais beijinhos.

1:17 da tarde  
Blogger Sofia said...

Gosto de portas, de portais, de portões, portinholas, portadas e janelas... gosto de as ter fechadas, de as entreabrir para espreitar, de as abrir por completo... de entrar e de sair, de deixar entrar e sair, ou de mandar embora! Gosto de ter a chave, de fechar a sete chaves, so segredo do outro lado da porta... A porta é o começo do mistério! Belo poema!

beijinhos
Sofia

3:34 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Claro, Sofia!
Beijinhos também.

5:28 da tarde  
Blogger addiragram said...

A porta nunca se abre para nós...
E não há preparação que nos "prepare"...Mas viver, como se fosse o
último dia, não é uma má "receita".

Um beijinho

6:33 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também acho, Addiragram.
Outro beijinho.

8:14 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

Sempre aprendendo em cada dia, com portas que se fecham... e com portas que se abrem. Sempre aprendendo contigo também, Torquato!
Beijinhos

10:46 da tarde  
Blogger Ana said...

Impressionou-me o teu poema . O que interessa , realmente, é ter vivido intensamente.
Um beijo.

1:20 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Susana e Ana, os beijinhos de sempre.

10:01 da manhã  
Blogger marta said...

Há quem acredite que se volta, mas em segredo, só para os amados.


beijinho Torquato da Luz

10:12 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Talvez, Marta. Outro beijinho.

9:35 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home