domingo, janeiro 13, 2008

Abandono













Foto TL
Não digas nada, deixa apenas
as mãos entregues ao calor das minhas
e olha-me nos olhos como quando
nos fitávamos, pássaros surpresos
do próprio voo, adolescente e luminoso.
Ambos sabemos desde há muito: a vida
é uma longa paciência e não há forma
de viver ao abandono dos que amamos.
Sobrevivamos, pois, no fio dos dias
que nos restam ainda, se é que o tempo
nos favorece como dantes.
E mantenhamos as mãos coladas,
olhares fitos um no outro, meu amor.

16 Comments:

Blogger addiragram said...

Deixemo-nos tocar pelas "almas" que se tocam...

5:18 da tarde  
Blogger Luis do Nascimento said...

Gostei muito do seu poema, parabens!

6:04 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É isso, cara Addiragram.

Obrigado, Luís, volte sempre.

6:55 da tarde  
Blogger JRL said...

o abandono ao amor... tão belo... tão sereno. um beijinho.

1:00 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijinho, Joana.

8:55 da manhã  
Blogger Huckleberry Friend said...

Que o amor não é feliz todos os dias, que os olhos não brilham sempre da mesma maneira, que sorriso nem sempre descreve o mesmo arco, já sabemos... mas ter a coragem desse abandono de mãos, de corpo, em silêncio, pode ser o ponto de partida para que "o tempo nos favoreça como dantes". Lindo poema, Torquato. Ah, e perdoe a menção, mas hoje tenho para a troca. Um abraço!

4:08 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Boa troca, HF! Outro abraço.

5:01 da tarde  
Blogger AGRIDOCE said...

Como parece simples escrever assim, quando leio estes textos que aqui deixa, com tanto conteúdo em tão pequena embalagem.
Parabéns.

8:15 da tarde  
Blogger mariazinha said...

lindissimo.
...
beijo*

10:43 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, caro Agridoce.

Outro beijo, cara "inconfidente".

10:23 da manhã  
Blogger Sophos said...

E que tudo seja eterno enquanto dura! Que se viva ao máximo cada história...ela pode não durar para sempre mas vale a pena da mesma forma.

Como sempre um grande poema!

12:10 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bondade sua, cara Sophos.

2:21 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Com o correr do tempo tão silencioso, é no entrelaçar de mãos e olhos nos olhos que se fortalece o amor. Há gestos que valem por mil palavras, por mil prendas.

Gostei muito!

Beijocas

7:58 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Mais beijocas, Fatyly.

8:33 da tarde  
Blogger marta said...

Nem vou dizer como é belo o poema.

Quem está doente Torquato da Luz?


Beijo grande

12:43 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Nada de preocupante, Marta.
Mais um beijo grande.

8:55 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home