quarta-feira, maio 28, 2008

Mais nada















Foto TL

Nestes dias chuvosos, quando a tua
lembrança vem bater-me na vidraça,
recuso-me de todo a ver quem passa
e procuro nem sequer olhar a rua.

E pela noite dentro, quando a lua
é um pássaro triste que esvoaça
sobre a última árvore da praça,
onde um fantasma sempre se insinua,

reinvento-te e, à luz da madrugada,
concluo que, além de ti, não há mais nada.

10 Comments:

Blogger JRL said...

a capacidade de reinventar já diz tanto... conseguir olhar de mil maneiras para se concluir que é assim. um beijinho e bom fim de semana.

12:16 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijinho e bom fim de semana também, caríssima Joana.

1:57 da tarde  
Blogger Carminda Pinho said...

Um poema lindo...mais nada.
:)
Bom fim de semana.
Beijos

3:11 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

O Forum está cada vez melhor, Carminda...
Bom fds e bjs tb :)

9:57 da manhã  
Blogger addiragram said...

Reinventar no silêncio da noite e de nós, para "esgotar" até à extremidade do possível, essa luz que nos habita.
Um beijinho.

11:09 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijinho, Margarida.

5:44 da tarde  
Blogger Tinta Azul said...

:) [sem mais palavras]

9:37 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

:)

9:49 da manhã  
Blogger Fatyly said...

Há olhares...mas sabermos olhar de dentro é o mais belo e gratificante. Parabéns poeta!
Um abraço

8:28 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço também, Fatyly amiga.

1:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home