sexta-feira, julho 04, 2008

O comboio dos medos










Acrílico sobre tela
TL, 2008

O nocturno comboio dos medos
tem muitas carruagens, qual delas a mais temível,
e não pára em todas as estações.
De vez em quando, há passageiros que saltam,
exaustos, pelas janelas,
tentando livrar-se dos seus problemas,
que não raro apenas agravam.
Alguns, porque mais ágeis, levantam-se da queda
e correm campos fora, rumo a destino incerto.
Todos, porém, para sempre condenados
ao pesadelo da fuga de si mesmos.

Na carruagem da frente
viaja o medo do futuro, locomotiva
que arrasta todas as demais:
a do medo da dor, do medo da morte,
do medo do escuro e do sol que queima,
do medo do polícia e do ladrão.
Sendo que a maior delas é aquela
que carrega a nossa imaginação.

9 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Gostei muito, Torquato.
Bom fim-de-semana. Beijos

5:00 da tarde  
Blogger Once said...

e que pese desmedido tem esse comboio Caro Torquato .. Gostei muito.
Bom fim de semana

5:27 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

... que se acrescente a carruagem da esperança!
... ainda será possível?

7:40 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bom fim de semana também, caras Laura, "Once" e Susana. Bjs.

10:11 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Gostei muito, Torquato.
Conheço bem esse comboio.

Um abraço.

1:50 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Nunca tinha lido nada igual sobre o que nos apoquenta e li, reli e tornei a ler. O acrílico é condizente!

Beijos e um bom fim de semana

10:24 da tarde  
Blogger addiragram said...

Muito bem "esgalhado"!:) A impossível
viagem da vida quando se viaja agarrado a esta "companhia". Um beijinho caro Torcato.

11:04 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Viajamos todos frequentemente nele, Toy.

Beijos também e um bom domingo, Fatyly.

Outro beijinho, cara Margarida.

10:19 da manhã  
Blogger Claras o contestatário said...

É verdade
a nossa imaginação é a mais temível e no entanto é tão fundamental

beijinho
Minucha

11:55 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home