sábado, junho 14, 2008

Por amor













Largo do Carmo/Foto TL
Só ficará de ti o que fizeste
por amor.
O resto não valeu:
foi apenas poeira que se ergueu
em teu redor
e o vento varreu.

Só ficará de ti o que escreveste
com paixão.
O resto não contou:
foi tão-só uma sombra que passou,
pura ilusão,
e nem rasto deixou.

10 Comments:

Blogger RAA said...

Também o creio, caro Torquato.
Um abraço.

1:34 da manhã  
Blogger minucha said...

Eu também

Lisboa anda tão bonita por estas alturas, não anda?
Uma beleza


Beijinho

1:50 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, caro Ricardo.

São os jacarandás, cara Minucha... Um beijinho também.

6:22 da tarde  
Blogger addiragram said...

É verdade, caro Torcato. Em nós e nos vindouros. Um beijinho.

11:40 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijinho, cara Margarida.

8:37 da manhã  
Blogger CMondim said...

nada, verdadeiramente grande, se fará sem paixão - Hegel

4:49 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Quem sou eu, caríssima Carla, para desmentir Hegel? :)

7:25 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

Por amor. Com amor. Tudo é mais verdade. E mais possível de alcançar!

Um abraço, Torquato

7:42 da tarde  
Blogger Moon T said...

pode até ser como a sombra, mas pergunto, a sombra não faz parte do nosso ser? não é a sombra a nossa companheira?
faz parte... tudo conta
simplesmente o que fazemos por amor marca mas... tudo conta.
e ainda me arrisco a divagar mais:
haverá alguma coisa que façamos que não por amor?



obrigado

7:58 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço também, Susana.

Nada tem a agradecer, "Moon T".

9:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home