quinta-feira, novembro 06, 2008

As mãos














Tenho para te dar as mãos vazias
e pouco mais, mas olha como são
as minhas mãos, que outrora foram frias
e hoje ardem ao calor da emoção
de sentir como espantam as sombrias
noites em que o negrume e a solidão
eram a manta com que te cobrias.

9 Comments:

Blogger Once said...

singela oferta esta carregada de significado ..

:)

5:50 da tarde  
Blogger claras manhãs said...

Como é difícil oferecer mãos vazias, qundo costumam estar cheias de tanto passado que, tantas vezes, não interessa nada.

Beijinho

6:05 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado e beijinhos, caras "Once" e Minucha.

10:55 da tarde  
Blogger addiragram said...

A melhor oferta...Mãos côncavas de memória.


Um abraço.

6:59 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, cara Margarida.

8:43 da tarde  
Blogger ana v. said...

Não me parece que haja alguma coisa de mais nobre para se dar a alguém...
Muito bonito, Torquato.
Um beijo

5:50 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijo também, Ana.

9:01 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Não há coisa mais gratificante no mundo que oferecermos "mãos tão cheias de NADA e NADA tão cheios de TUDO".

Lindissimo e consegues dar força, coragem e esperança através da tua poesia. Vale sempre a pena vir até aqui. Obrigado poeta!

Beijos e um bom domingo

10:46 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

A tua generosidade é infinita, Fatyly.
Beijos e um bom resto de domingo também.

1:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home