segunda-feira, novembro 03, 2008

Festa














Praça dos Restauradores, Lisboa / Foto TL, 2008
Quem muito cuida muito sente
e sentir é sofrer.
Melhor será, portanto, ir sempre em frente
e seguir indiferente
ao que der e vier.
Nem permanente festa nem maçada,
a vida há-de ser jogada
entre uma e outra, sei lá.
Mas o mais sábio será
ter presente que a primeira,
sendo como é prazenteira,
é que dá.

6 Comments:

Blogger Once said...

fez-me lembrar os saltimbancos Caro Torquato ..

:)

4:29 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bem lembrado, cara "Once"...

:)

5:07 da tarde  
Blogger claras manhãs said...

Mas é mesmo o que apetece, Torquato.
Já viu o que andam todos a "sacar" e nós a pagar?
Brrr!

beijinho

5:23 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Brrr!, cara Minucha.

Beijinho também.

5:49 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Um poema bem actual e já num passado recente houve festas igualmente danosas.
Mas...vamos seguir conforme pudermos e positivamente em festa:)

A foto está fabulosa...e de onde tiraste...algures...trabalhei doze anos. Nunca mais saem dos céus de Lisboa esses malditos guindastes:(

Um abraço poeta e obrigado por este momento de leitura e reflexão

9:41 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço também e obrigado pelas tuas palavras, querida Fatyly.

2:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home