sábado, abril 25, 2009

25 de Abril















Acrílico sobre tela / TL, 2009

O longamente esperado dia
de todas as promessas e intenções
chegou enfim vestido de poesia
e de flores e canções.

Mas depressa o nevoeiro
toldou o que era puro e era inteiro,
mostrando que não trazia
no seu bojo nenhum Sebastião
capaz de exorcizar a sensação
de letargia.

E no entanto ficou como fronteira
das nossas vidas
desde aí para sempre divididas
de tal maneira
que amiúde a conversa nos impele
a falar do antes e depois dele.

11 Comments:

Blogger addiragram said...

Foi a maior das fronteiras das nossas vidas! Só poderia mesmo haver um antes e um depois!
A nossa doença letal é mesmo continuarmos a esperar Dons Sebastiões.

11:40 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Do propriamente dito ao Sebastião José, cara Margarida...
Bom fim-de-semana!

12:03 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Estive a ler os poemas em atraso, mas só hoje tive tempo e disposição para o fazer, já que foi uma semana de "trapalhadas".

Não vivi o 25 de Abril e o que iamos sabendo era a conta-gotas e numa de bichanar com medo da PIDE que algo tinha ocorrido na metrópole.

Hoje, apesar dos pesares e 35 anos depois continua a dizer que valeu a pena termos acabado com a terrível ditadura.

Mas hoje em vez dos cravos vermelhos(a minha flor preferida são os amarelos) olho para as flores primaveris dos jacanradás, larangeiras, pessegueiros, plátanos, roseiras...enfim para o mar de flores que existem no país que me acolheu, que é meu e no qual acredito que terá um futuro melhor e conseguirá vencer e ser um grande país.

Beijos sinceros, parabéns pelos magníficos poemas e fotografias e um bom dia em LIBERDADE.

12:13 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijos e um excelente dia para ti também, cara Fatyly!

2:03 da tarde  
Blogger jrd said...

Em Abril a -nossa- poesia tem as cores da tua pintura.
Sempre!!!
Abraço

3:40 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, caro JRD.

10:43 da tarde  
Blogger Tinta Azul said...

Lindíssimo!

:)

6:09 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

Olhemos em frente, Torquato! Compreendendo o passado, podemos viver com mais alegria o presente, para a conquista de um futuro melhor. Lutemos pelo 26 de Abril!!!

6:45 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bem hajam, caras "Tinta Azul" e Susana!

8:52 da manhã  
Blogger once said...

A minha filha disse-me há um ou dois anos uma frase que me ficou com resumo de tudo o que vivemos, sofremos (mais os pais que nós):

"Mãe, ainda bem que nasci em 1997!"

:) e mais não acrescento. Felizes os que gozam a Liberdade. Sabendo que o Respeito é dela parte integrante.

Gostei muito Poeta. E hoje alonguei-me por aqui .. :)

11:19 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Também gostei muito deste seu comentário e da lição que contém, Catarina.
Vale mesmo a pena lutar pela Liberdade - e vivê-la!

1:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home