segunda-feira, abril 13, 2009

Nevoeiro

Terreiro do Paço / Foto TL, 2008
Entre o cais de partida e o de chegada
deste mistério a que chamamos vida,
olhando em volta não se vê mais nada
que o nevoeiro da despedida.
Mal se nasce, inicia-se a contagem
do que temos de deixar
ao longo da viagem.
São contas de sumir, não de somar,
mais de perder do que de achar.
Mas não se tira vantagem
do que lançamos ao mar
e para se ser livre e ser inteiro
importa ousar romper o nevoeiro.

4 Comments:

Blogger mdsol said...

:)))

3:45 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Já agora, parabéns pelo aniversário, cara Mdsol!
:)))

4:15 da tarde  
Blogger once said...

romper o nevoeiro .. deixar para trás? talvez poder deixar para trás ..

Gostei de todos :) deste em particular que me soa a "lição de história" também *

3:12 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Oxalá as férias tenham corrido bem, Catarina. Beijinhos (também para a Princesa, é claro).

6:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home