sexta-feira, junho 09, 2006

Rua do Alecrim














Rua do Alecrim, Lisboa/Foto TL, 8.JUN.2006

Não me parece que a Rua do Alecrim
alguma vez tenha cheirado a alecrim.
Mas, enfim,
deve ser de mim,
que entre os cheiros do jardim
prefiro o do jasmim.

(2006)

10 Comments:

Blogger Susana Barbosa said...

Bonito!
Temos houve que sim, o cheirinho a alecrim... e eu também adoro, o cheiro a jasmim.

Beijinhos

5:42 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijinhos também, Susana, e obrigado.

8:54 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Que arte transformar a Rua do Alecrim em poema, com cor e perfume. Lindo!
Beijinhos

1:27 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

São os teus olhos, Laura...
Beijinhos.

9:10 da manhã  
Blogger Maria Costa said...

É tempo de brisas perfumadas.

Beijinhos.

10:25 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Maria do Céu:
Continuo sem acesso aos comentários de "A direcção do voo", mas estou a tentar resolver o problema.
Bjs também e obrigado.

2:34 da tarde  
Blogger RPM said...

O poema está como é........

e, olhando para a foto, olhei para o azul do fundo......

azul do rio, azul que brilha...a cidade cumprimentando o rio.

os meus cumprimentos, uma vez mais

abraço

RPM

6:56 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, Rui Pedro.

9:14 da tarde  
Blogger Cãocompulgas said...

As ruas de Lisboa têm esse condão: têm perfumes, cores e texturas que só quem ama Lisboa pode entender.

Beijinhos

6:45 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É o meu caso, cara Fátima.
Bjs.

6:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home